Buscar
  • IDS

Dicas práticas de como os pais podem proteger as crianças do abuso sexual


Quando falamos de abuso sexual infantil, é importante saber que não estamos falando de um ‘perigo estranho’. Muitos pais acreditam que seus filhos correm maior risco de serem abusados ​​por um estranho, mas estatísticas e a própria realidade da nossa instituição indicam que, 9 em cada 10 vezes o agressor é conhecido da criança. Essas crianças conhecem e convivem com o seu agressor!

Ajudar os pais a manterem seus filhos seguros é o nosso objetivo, então, aqui estão alguns dos conselhos que compartilhamos em nossos eventos e ações, que minimizam o risco de abuso sexual:

1. Ensine as crianças o nome apropriado para as partes do corpo. Tanto a vagina como o pênis são partes normais do corpo de uma criança e devem ser chamados por esses nomes em casa. Sabemos que é comum as famílias utilizarem apelidos como ‘perereca e pipi’, mas por favor ensine os nomes reais também. Falar sobre eles nesse contexto é uma ótima maneira de ensinar a consciência corporal.

2. Seja explícito: partes íntimas ou privadas são privadas. Ao ensinar a consciência corporal, seja muito claro: “ninguém pode tocá-lo em suas partes íntimas”.

3. Converse sobre o que fazer se alguém deixar seu filho desconfortável. Falar sobre uma situação desconfortável e potencialmente perigosa com antecedência garantirá que seu filho saiba como reagir: “dizer não” é a maneira mais fácil de sair de uma situação assim. Nesta conversa, recomendamos que os pais digam aos filhos: “Acredito em você, estarei do seu lado, te ajudarei e te amarei, não importa o que aconteça ou quem está envolvido”. Os agressores que estão em posições de poder, frequentemente dizem às crianças que não serão acreditadas ou amadas.

4. Incentive limites saudáveis. Todo mundo adora um abraço de uma criança pequena, mas não force o seu filho a abraçar e/ou beijar. Isso envia uma mensagem para as crianças que eles estão no comando de seus próprios corpos.

5. Segredos não são uma coisa boa. Ensinem aos filhos que nenhum outro adulto ou criança deve pedir a eles que guardem um segredo da mãe ou do pai.

6. Esteja ciente das circunstâncias. Saiba onde estão seus filhos, com quem eles estão e tenha cuidado com as circunstâncias que poderiam colocá-los em risco. Uma grande festa do pijama, por exemplo, é uma situação em que uma criança pode estar ‘desaparecida’ por um período de tempo sem que ninguém perceba.

7. Confie no seu instinto. Se há um adulto que está fazendo o seu filho se sentir ‘extra especial’, que lhe dá uma atenção exagerada, confie em si mesmo e em seus instintos e retire o seu filho da situação.

#prevençãocomcrianças

124 visualizações

ASSINE NOSSA NEWSLETTER:

PATROCINADORES:
SIGA:
  • Instituto Desenhando Sorrisos
  • Instituto Desenhando Sorrisos

©2015 Produzido por IDS Design.